E_02/2017 - Cientista do Nosso Estado – (2017-2021) - A Perspectiva dos Funcionamentos: refinando o arcabouço teórico e ampliando as aplicações

 

O objetivo geral deste projeto será desenvolver uma perspectiva de justiça mais inclusiva e mais compatível com os ideais de uma concepção moral universalista. Para tal, serão primeiramente analisadas as concepções de justiça disponíveis e apresentadas as suas limitações. Em seguida será apresentada a perspectiva dos funcionamentos, cujo foco será a realização plena dos diversos sistemas funcionais, em toda a sua singularidade e complexidade.

O objetivo específico do projeto é fornecer um instrumento que permita uma melhor garantia da igual consideração ou respeito moral entre todos os integrantes da sociedade moral, em diversas esferas. Neste sentido, pretendo analisar a aplicação da perspectiva dos funcionamentos no âmbito da saúde, da educação, da ética animal e ambiental, das questões que concernem a utilização da tecnologia para o aprimoramento humano e, finalmente, das questões relativas a gênero, políticas de identidade e políticas de reparação. 

Ao elegermos este aspecto, ou melhor, o aspecto da integridade funcional de um sistema como foco de atribuição de valor moral, estaremos colocando de lado outros aspectos que nos distinguem das demais entidades ou formas de vida existentes. Neste sentido, já não teremos como restringir o âmbito da moralidade ao pequeno grupo dos seres que sob o ponto de vista funcional se assemelham a nós. Se pudermos identificar um sistema funcional, seja ele humano, animal ou não, teremos o compromisso moral de não impedir seu bom desempenho, ou ainda, de promover seu florescimento. 

Neste ponto, nossa principal dificuldade deixa de ser (i) encontrar uma justificativa para considerar ou incluir o outro no âmbito de nossas considerações morais, e passa a ser (ii) saber o que seria para cada sistema funcional em geral, ou para cada ser, em particular, sua plena realização. Trata-se, portanto, de um desafio para nossas investigações empíricas e uma dificuldade técnica a ser suplantada pelo conhecimento humano acerca do mundo no qual vivemos.

 

E_26/2014 - CIENTISTA DO NOSSO ESTADO – (2014-2017) - A perspectiva dos funcionamentos: por um enfoque mais inclusivo de justiça

 

O objetivo geral deste projeto será desenvolver uma perspectiva de justiça mais inclusiva e mais compatível com os ideais de uma concepção moral universalista. Para tal, serão primeiramente analisadas as concepções de justiça disponíveis e apresentadas as suas limitações. Em seguida será apresentada a perspectiva dos funcionamentos, cujo foco será a realização plena dos diversos sistemas funcionais, em toda a sua singularidade e complexidade. O objetivo específico do projeto é fornecer um instrumento que permita uma melhor garantia da igual consideração ou respeito moral entre todos os integrantes da sociedade moral, em diversas esferas Neste sentido, pretendo analisar a aplicação da perspectiva dos funcionamentos no âmbito da saúde, da educação, da ética animal e ambiental, das questões que concernem a utilização da tecnologia para o aprimoramento humano e, finalmente, das questões relativas a gênero, políticas de identidade e políticas de reparação. Ao elegermos este aspecto, ou melhor, o aspecto da integridade funcional de um sistema como foco de atribuição de valor moral, estaremos colocando de lado outros aspectos que nos distinguem das demais entidades ou formas de vida existentes Neste sentido, já não teremos como restringir o âmbito da moralidade ao pequeno grupo dos seres que sob o ponto de vista funcional se assemelham a nós Se pudermos identificar um sistema funcional, seja ele humano, animal ou não, teremos o compromisso moral de não impedir seu bom desempenho, ou ainda, de promover seu florescimento. Neste ponto, nossa principal dificuldade deixa de ser (i) encontrar uma justificativa para considerar ou incluir o outro no âmbito de nossas considerações morais, e passa a ser (ii) saber o que seria para cada sistema funcional em geral, ou para cada ser, sua plena realização Trata-se, portanto, de um desafio para nossas investigações empíricas e uma dificuldade técnica a ser suplantada pelo conhecimento humano acerca do mundo no qual estamos inseridos.

 

E_09/2010 - CIENTISTA DO NOSSO ESTADO – (2010-2013) - Identidade pessoal, moral e política: da naturalização da ética à ampliação da comunidade moral

 

Tendo em vista a finalidade de compatibilizar as investigações sobre o agente moral e político com uma perspectiva materialista/naturalista da mente e do mundo, serão apresentados, primeiramente, os pressupostos básicos de uma perspectiva naturalista e será defendida uma perspectiva funcionalista da mente. Dentro desta perspectiva, que adota uma concepção materialista do ser humano, argumentar-se-á que aquilo a que atribuímos as propriedades mentais não pode ser identificado nem como uma entidade não-física, nem com o cérebro. Com isto, tenciona-se suprimir o dualismo mente-corpo, tanto em sua versão cartesiana, como na versão contemporânea. Propriedades mentais, assim como as demais propriedades físicas, serão atribuídas a sistemas e a funções realizadas pelos mesmos. Em seguida, pretende-se destacar algumas das caracterizações filosóficas correntes acerca do agente moral e investigar a possibilidade de resgatá-las no cerne de uma perspectiva naturalista. Para concluir, serão analisadas as consequências da adoção do modelo naturalista proposto para resolução dos principais desafios enfrentados no âmbito da bioética e da filosofia política, associando-o à perspectiva seniana das capacidades (capabilities approach) e reformulando a concepção de justiça distributiva de modo a adequá-la a um ideal moral mais amplo e inclusivo.